A Voz Interior

18/05/2012 06:47

 

Nesta semana, o Grupo da Casa do Cristo se reúne e sugere a reflexão sobre o papel de cada um de nós na nossa vida, no nosso processo evolutivo. E afirma que ninguém pode assumi-lo por nós.

Que a reforma íntima é uma necessidade de todo espírito e que cada momento em nossa vida é preciso ser observado e compreendido como parte deste processo. Porém, isto somente será possível a partir da escuta de nossa voz interior.

Portanto, só hoje, separe parte do seu dia, umas horinhas, e pare tudo o que estiver fazendo. Silencie-se e escute-se. Não se preocupe, não levará o dia inteiro, ou, talvez, até leve, pois quem sabe descubra um prazer enorme em se ouvir e faça, de minutos, uma eternidade.

Boa viagem!

O grupo

 

 

A Voz Interior

 

Na Casa do Cristo gente não faltava. Vinham de toda parte, de todos os bairros e lugarejos vizinhos. Vinham em busca da consolação, do afeto, da resolução de seus problemas, angustias e sofrimentos. Acreditavam que era somente entrar por suas portas e estariam salvos. Porém, a realidade era bem diferente.

Não há no mundo ninguém que possa salvá-lo. Acreditem! Somente cada um é capaz de fazê-lo através do conhecimento, do autoconhecimento, da entrega e determinação em se fazer diferente no que for necessário a seu melhoramento individual e, consequentemente, como tudo isso ressoará no crescimento coletivo da humanidade.

Apesar de ser um processo individual de crescimento evolutivo é no coletivo que este se determinará de forma a desenvolvê-lo e fazê-lo útil a evolução de todo o planeta. Por isso não estamos sozinhos. Nascemos e nos criamos no grupo familiar que é a base de onde partimos para as demais relações da vida.

Se, às vezes, o ambiente familiar nos parece sufocante e doloroso é porque foi desta forma e, bem provável, com estas pessoas que nos relacionávamos. Ou, quem sabe, nos dispusemos a estar com eles para nos aprimorar e ajudá-los, também, a alcançar o aprimoramento.  Pensemos no retorno à vida neste berço como ocorrência necessária em nossa vida e na deles para a identificação de fatores que requerem modificação. O fato é que a cooperação mutua auxiliará a cada um nós.

Este entendimento se processa nas outras relações construídas no decorrer da vida: grupos de trabalho, amizades, relacionamentos afetivos. Se forem motivo de dor ou desconforto é porque que se faz imprescindível a transformação de sentimentos, pensamentos e atitudes.

Como fazer? Questionamento sempre presente em, praticamente, todas as reuniões que aconteciam na casa do Cristo.

Pois bem, pensemos juntos. Reflitamos sobre os caminhos que dispusemos para alcançar os objetivos que nos propomos. Sim, é imperativo que objetivos sejam traçados. Se não os forem, como saberemos onde queremos chegar? Daí parte um planejamento, do saber o que se quer. Talvez este seja a maior das dificuldades. Tantos são os desejos e as opções. Como escolher?

Faz-se necessário escutar-se. Escutar é mais que ouvir. É silenciar-se para que a escuta seja profunda e verdadeira. É desligar-se dos infinitos ruídos que nos rodeiam para que nossa voz interna possa ser ouvida. Uma vez diante deste processo, a compreensão de nossos anseios mais profundos será facilitada. Então poderemos orientar nossa caminhada rumo ao que naquele momento queremos atingir.

Digo naquele momento, porque não devemos estar inertes, mas sim em movimento. Isso nos indica que nosso ser estará, constantemente, em evolução, portanto os objetivos também estarão evoluindo e nos convidando a novos caminhos.

Fica claro que nossa voz interior nunca se cala e a sua escuta deve ser permanente. Porém, não é um procedimento fácil de realizar. O medo tende a aparecer, a fim de nos proteger de conteúdos os quais, muitas vezes, não nos achamos preparados para encarar. Pode nos ser doloroso este encontro com verdades que adormecemos em nós.

Afirmo-os que, assim como as quedas da bicicleta foram superadas, os ferimentos cicatrizados e, hoje, ela deixou de ser um bicho de sete cabeças, o seu despertar também será.

Coragem! Não estão sozinhos. Contam com amigos encarnados e desencarnados que estão sempre prontos a ajudar. Este é o papel da Casa do Cristo e de tantas outras casas: o auxílio ao adiantamento. Ao acolher, escutar e abrir espaço para o estudo e a reflexão estão contribuindo para o desenvolvimento dos que as procuram.

São muitos os que chegam, porém, infelizmente, são poucos o que estão dispostos a todo o processo discutido acima, o qual podemos denominar de reforma íntima. Chegam e partem sem dar a si mesmo a possibilidade de fazê-la. Pois não acreditam nela, ou desejam um processo rápido, não trabalhoso, um milagre. Não sabem eles que os milagres partem de cada um de nós, da escuta e compreensão da nossa voz interior e da utilização da energia que trazemos dentro de nós.

Só hoje, separe parte do seu dia, umas horinhas, e pare tudo o que estiver fazendo. Silencie-se e escute-se. Não se preocupe não levará o dia inteiro, ou, talvez, até leve, pois quem sabe descubra um prazer enorme em se ouvir e faça de minutos uma eternidade.

A proposta de hoje é o exercício de acolher a si mesmo, de cuidar de si mesmo sem detrimento do outro que nos auxilia, sem egoísmos, pelo contrário, com amor, com partilha, com entendimento.

Um abraço afetuoso de todo o Grupo.

17.05.12   

Facebook Twitter More...