O Homo Sapiens (Homem sábio) está em extinção...

27/01/2011 10:25

Mantendo a toada da evolução, o Momento de Luz desta sexta, trata da extinção do Homo Sapiens, com a redescoberta do SER acabando com as nossas limitações emocionais e enriquecendo o nosso ser espiritual.

Um bom final de semana todos.

 

O Homo Sapiens (Homem sábio)
está em extinção...

 

Procuro sempre por sinais em todos os meios de comunicação e em minha volta. Indícios que permitam montar, da melhor forma possível, o quebra-cabeça da vida que recebemos e que nos cabe completar; sinto ainda uma profunda necessidade de entender em que ponto da história da humanidade nos encontramos. Ontem, na Web, li a seguinte afirmação:

"O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, aconselhou as jovens italianas a procurar parceiros ricos, acrescentando que, por isso, as mulheres costumam gostar dele".

Meu coração de pronto deu uma sacudida amarga, ao lembrar que esse indivíduo infelizmente goza, em seu outrora democrático e atraente país, de imensa popularidade e sabia, como bom comunicador e formador de opinião, do alcance daquilo que estava falando aos seus entorpecidos súditos.

Talvez possa parecer uma notícia um tanto banal, mas minha alma ficou chocada. O primeiro cidadão de minha nação de origem conseguiu, perante o mundo, humilhar e banalizar o amor, o feminino sagrado, a magia abençoada dos encontros e mais a sensibilidade e a inteligência das pessoas... Ainda que muitos possam considerar normal esse episódio, nos dias de hoje.

De imediato, busquei ajuda em algo que me fizesse voltar à consciência plena, ao meu centro; e logo encontrei. Há tempos coloquei na tela do meu PC, como que para servir de reflexão diária, uma frase de Carl Jung, o grande psicólogo suíço, que alguém gentilmente me enviou.

Agora entendo o motivo de tê-la deixado à vista: era para ser repassada a todos os leitores do boletim. É tão atual, tão verdadeira, mesmo tendo sido escrita em 1960, que me marcou profundamente, pois Jung conseguiu colocar em poucas palavras quase tudo aquilo que sinto hoje, mas que não saberia expressar de forma tão clara e precisa; parece que ele a escreveu como que em resposta ao Berlusconi:

"Quanto mais velho fico, mais me impressiona a fragilidade e incerteza de nosso conhecimento e tanto mais procuro refúgio na simplicidade da experiência imediata, para não perder o contato com as coisas essenciais, isto é, as dominantes que governam a existência humana [...]. É bem possível que estejamos olhando o mundo do lado errado e que poderíamos encontrar a resposta certa, mudando nosso ponto de vista e olhando o mundo pelo lado correto, isto é, não pelo lado de fora, mas de dentro".

A esperança voltou, a percepção do que é verdadeiro também e tudo mudou. Sim, creio que tudo que parece estar se desintegrando à nossa volta, os valores éticos, morais, de fraternidade, a verdade, esteja indicando justamente o fim de um ciclo, de uma era. De um tempo de escuridão, regido pela limitada, confusa e desastrada energia masculina. Repleto de separação, de guerras intermináveis fomentadas pelo ódio, pelos preconceitos e a supremacia de raças decadentes, por domínio territorial e sinistras motivações religiosas. Tudo pautado ainda por uma desastrosa e suicida devastação dos recursos naturais, dos Reinos da Natureza, uma inexplicável postura perversa perante nossos irmãos carentes, famintos, sem-teto... abandonados à sua própria sorte, suas dores; totalmente esquecidos.

Sim, o teto, o limite foi por fim atingido, as palavras esgotaram sua força, os PhDs que acreditavam estar acima do bem e do mal, os grandes laureados, ainda tentam explicar inutilmente -pois não conseguem captar nada além do mental- para onde estamos indo, o que deverá ser feito, com base em estéreis teorias desprovidas de real significado e que ignoram desde sempre as Leis e os Valores que regem os Universos.

A Terra encontra-se sem lideranças; seres pequenos de caráter e alma ainda crêem que estão dando as cartas, ditando os rumos de bilhões de seres humanos, sendo, no entanto, somente pobres políticos demagogos e populistas capazes de salivar números altisonantes, despidos de real significado e sempre colocando a economia como o único, grande e incontestado ídolo.

Acreditem. Isso está acabando.

O Homo Sapiens (Homem sábio) está em extinção.

A capacidade intrínseca de raciocinar, de resolver problemas, de se integrar, se relacionar, esgotou-se, chegou ao ponto final, o experimento terminou. O poder já escapa a quem coloca sua força no conhecimento e na informação privilegiados. O novo tempo está batendo à nossa porta, trazendo uma era onde não existirão mais crises econômicas, corrupção generalizada, desamor, inveja, cobiça e injustiças. Outras dimensões -sutis- hoje ignoradas, serão alcançadas e exploradas, deixando definitivamente para trás a ignorância, a dualidade, o medo, as doenças.

Os Guias e os Mestres que nos orientam, balizam e confortam, confirmam que a desgastada materialidade da terceira dimensão será transposta, que a transformação já é realidade plena nos planos superiores e está se manifestando inexoravelmente no aqui e agora.

O hoje todo-poderoso conceito de ter será somente sinônimo de limitação emocional e de pobreza espiritual. A redescoberta do Ser, que o autoconhecimento e a busca interior estão proporcionando, já está trazendo renovada qualidade de vida e sabedoria profunda, permitindo-nos passar pela existência de maneira suave, serena e produtiva. O descobrimento precoce de nossa única missão de vida nos coloca definitivamente em ambientes e rumos onde a harmonia e a paz reinam soberanas. O que antes era chamado de trabalho é agora um precioso serviço essencial prestado à humanidade, num projeto divino, exclusivamente em nome da Luz e da Unidade.

A pseudo-sabedoria de hoje, junto com a energia masculina dominante, que ainda por pouco tempo ditarão as regras neste plano, ficarão relegadas como letras mortas em empoeirados livros de história.

A transformação global passará pela energia do feminino sagrado, aquele conhecimento profundo que foi golpeado durante séculos, mas que ninguém conseguiu extinguir, será levado adiante por seres capazes de transpor as múltiplas dimensões do Universo, seres livres de condicionamentos religiosos, de dogmas, de culpa. Seres em sintonia total com a Unidade, a verdade, a alegria, a simplicidade, o amor incondicional. Pessoas que sabem o que fazem, que vibram e atraem bem-aventurança, que vivem em harmonia com a Natureza, com profundo respeito, admiração e gratidão para com a nossa Mãe Terra.

Por que não começar agora mesmo esta nova fase?

Gostaria de encontrar as palavras e as imagens para lhe passar, mas trata-se de energia pura que somente pode ser percebida muito além do mental ou do emocional; queria lhe dizer que nada mais sublime e compensador existe para ser por nós experimentado. Vislumbres, momentos de êxtase nos são reservados quando conseguimos silenciar a mente e viajar, mais ou menos conscientemente, pelas inúmeras dimensões da Luz. Todos podem buscar esta aventura cósmica e todos são convidados. Sempre!

Vontade, coragem, determinação, perseverança, coração puro... só isso e nada mais é necessário.

De repente, a fé se tornará algo real, palpável, profundo e natural. Deixaremos o que é velho e nos livraremos do fardo pesado para sempre... e, livres e leves, seguiremos a caminhada, em excelente companhia... a da Luz pura que está em nós e começa a transbordar, a curar, a servir nosso semelhante, a irradiar-se com brilho e intensidade cada vez maiores.

Autor: Sergio Scabia (http://somostodosum.ig.com.br/d.asp?i=8)

Facebook Twitter More...