O CAMINHO DA CLAREZA

18/05/2012 16:14

 

O Momento de Luz de hoje busca falar do caminho que devemos percorrer para a clareza de todas as nossas dúvidas, medos e angústias.

Contudo, temos que perguntar se estamos pedindo clareza ou apenas queremos que alguém nos diga o que fazer.

Esse questionamento é importante, pois, se pedirmos clareza, devemos estar preparados para ver todos os aspectos da verdade, até mesmo aquelas coisas que não queremos saber.

Desejamos coragem para todos no percorrer deste caminho.

Muita luz.

 

O CAMINHO DA CLAREZA

Por Jennifer Hoffman

Dezembro de 2010



O antídoto para a dúvida é a clareza, a luz da compreensão que ilumina os cantos escuros de nossa vida, para que vejamos claramente o caminho diante de nós, livre de obstáculos.


A clareza é a resposta a todas as nossas questões, o conhecimento que libera todo o medo e com ela vem a liberdade de avançar sem obstáculos. Mas a clareza tem um preço que inclui a aceitação, a liberação, o perdão e a entrada em nosso próprio poder.


Enquanto a clareza ajudará a resolver todos os nossos problemas, ela exige muito de nós no modo como encaramos a nós mesmos e aos outros, estejamos conectados com a nossa compreensão através do ego ou do espírito e quanto realmente o queremos. Algumas vezes é mais fácil perambular na escuridão do que caminhar poderosamente em nossa própria luz.


Estamos pedindo a clareza do ego ou do espírito?


A partir do ego, ter clareza significa que obtemos o que queremos, quando o queremos e como o queremos. Frequentemente nós queremos clareza para nos mostrar que somos dignos e merecedores, não importa o que aconteça ou o que os outros façam.

 

A clareza do ego responde à questão “por que” através da justificação de sua posição, de suas crenças, valores e percepções. Assim, se não conseguimos aquelas coisas, permanecemos na escuridão porque traçamos uma linha reta para a clareza que não permite quaisquer opções alternativas.


A clareza do espírito está aberta a todas as opções. Ela requer maturidade espiritual e emocional, aceitação de nós mesmos e dos outros em todas as situações, ela facilmente se move do “por que” para “o que”, sabendo que há um propósito divino para todas as coisas. Ela lembra que somos responsáveis pelo que acontece em nossa vida, até o ínfimo pormenor.

 

A clareza do espírito está baseada na confiança e na fé em um Universo benevolente que é o nosso parceiro na manifestação, não o nosso inimigo. E é imparcial, atento e amoroso.


É difícil aceitar a clareza quando a recebemos enquanto enfrentamos os nossos maiores desafios.


Como podemos ser responsáveis por tanto drama, medo e carência?


Pedimos clareza, mas o que realmente queremos é uma explicação, uma razão que possamos aceitar, uma solução, alguém ou algo mais para responsabilizar e um resultado com que possamos viver.

 

Mas a clareza que recebemos, não nós dá, muitas vezes, nada disto. Ela aponta para nós e nos lembra que temos a solução, a clareza que queremos está em nosso interior e temos que passar mais tempo procurando-a.

A clareza resolve os nossos problemas, revelando a verdadeira natureza e o propósito de nossa trajetória de vida, as lições que precisamos aprender e a compreensão que é parte da jornada de nossa mestria.


Ficamos frequentemente decepcionados pela clareza, porque muitas vezes ela é apresentada como uma série de pistas que devemos então unir e encontrar a nossa própria clareza. Seria maravilhoso se pedíssemos clareza e nos fosse apresentada uma cena perfeita do que precisávamos aprender a partir desta experiência.

 

Mas isto seria apenas satisfazer o ego neste momento. O que aprenderíamos e como isto nos ajudaria no futuro?

 

Temos que perguntar se estamos pedindo clareza ou apenas queremos que alguém nos diga o que fazer.


Se pedirmos clareza, devemos estar preparados para ver
todos os aspectos da verdade, até mesmo aquelas coisas que não queremos saber. É onde lutamos com o desejo do ego por aceitação e validação.

Com a clareza, por exemplo, adquirimos a paz, sabendo que o relacionamento que estamos tentando tão arduamente criar é o errado para nós, e avançamos. Mas o ego usará a clareza que ele recebe para tentar outras táticas, sem querer reconhecer que alguém simplesmente não quer um contato conosco.


Quanto mais imparciais pudermos ser, mais fácil teremos a clareza, porque sem a imparcialidade nós não teremos a compreensão que nos ajudará a liberar aquelas coisas que nos impedem de ter a alegria, a paz e o amor que desejamos.

 

Podemos não fazer caso da necessidade do nosso ego por aceitação e pedirmos clareza, sabendo que a resposta que recebermos, simplesmente será a verdade que podemos usar para compreendermos esta parte de nossa jornada.


Ser capaz de pedir e receber a clareza e toda a sua verdade é um sinal de que evoluímos além da necessidade de saber, de modo que possamos nos validar, sabendo o “por que”, e passarmos para o reino do “que”, o que precisamos saber, o que está realmente acontecendo, qual é a nossa lição nesta situação e o que estamos tentando curar.


Estamos realmente preparados para a verdade?


Nós a obteremos com clareza e então poderemos decidir se realmente queremos avançar em nosso caminho ou não. A clareza nos dará todas as respostas; cabe a nós decidirmos o que faremos com elas.


Concedam-se a dádiva da clareza e então saberão a verdade de quem vocês são, qual o seu propósito, suas lições e a evolução para o amor e a mestria para os quais a sua alma os esteve preparando.

 

Tradução: Regina Drumond

reginamadrumond@yahoo.com.br 
Site original: www.urielheals.com

Direitos reservados

© 2004/2010 para Jennifer Hoffman.

Facebook Twitter More...