VÍTIMA OU SALVADORA?

21/07/2011 06:03

Colocamo-nos no papel de vítima do de salvadores?

Essa é uma pergunta que devemos nos fazer a todo instante. Somente com esta reflexão, com o autoconhecimento estaremos aptos a vivenciarmos, a vivermos o amor.

Partindo de uma mensagem psicografada, nossa colaboradora divide as suas reflexões, nos oportunizando mais um Momento de Luz em nossas vidas.

Aproveitemos.

E que o nosso dia seja repleto de amor.

 

 

 

VÍTIMA OU SALVADORA?

 
 
Os homens pecam porque encontram em suas almas refúgio para o perdão dos pecados através de outros homens.

 
Se a eles fossem entregue as responsabilidades de seus feitos, jamais pecariam novamente. Mas sempre há muitos que querem resolver todos os problemas.
 
Dizem-se responsáveis pelos homens e se permitem julgá-los e salvá-los em nome do nosso pai que está no céu, mas digo-lhe que isso não é possível.

 
Só o homem salvará o próprio homem. (Somente o homem poderá salvar a si mesmo.)
 
Cada um é responsável pelas coisas que diz e que faz, portanto, cabe somente a ele corrigir o que fez de errado.

 
Se uma simples bacia de água limpasse toda sujeira escondida no coração do homem, Deus não seria justo com os que se esforçaram para serem corretos.
 
Ouvi-me minha filha, precisa fazer por merecer o amor de Deus.

 
Precisa seguir as regras estabelecidas por Ele contidas na Lei do Amor.

 
Olhai os mais belos dentre os homens, belos em espírito e atitude, e verá o futuro deles ao lado do Senhor no seu reino dos céus. Por isso, é preciso ser reto e limpo de coração. Ter atitudes baseadas nas leis de Deus e seguir o caminho de luz indicado por Ele.

 
Parta em nome de Deus e leve Seus ensinamentos para que os homens ignorantes do Seu saber também se façam presentes no reino de amor do infinito.

 
                              Mensagem enviada por um espírito amigo em 12.07.2011.
 
 
Diante de tais palavras, questiono-me em qual posição passo mais tempo: na de vítima ou na de salvadora.

 
Quando vítima, questiono a Deus o porquê de eventos que considero desagradáveis me ocorrerem. Quando salvadora, percebo-me grandiosa o suficiente para livrar o próximo de suas dores pessoais.

 
Fui criada no princípio de que se fosse uma boa garota "papai do céu" me recompensaria com uma vida linda e feliz e, que nenhum problema e/ou sofrimento me ocorreriam. Portanto, sempre me esforcei para ser correta em minhas atitudes. Meu engano foi pensar que somente isso bastava. Quando os obstáculos começaram a surgir, meu coração decepcionado perguntava bravo porque Deus permitia que tal fato desagradável, ou, simplesmente, não correspondente à minha vontade, acontecesse.

 
O mesmo ocorria quando observava o sofrimento dos que considerava não merecedores de tal situação. Indignada, reclamava, tentava entender e, por fim, me conformava. Tentava me convencer que a vida é assim e nada pode ser feito perante os desígnios de Deus. Aprendi que Deus escreve certo por linhas tortas. Então portava minha fé duvidosa e seguia em frente.

 
Foi um longo caminho de incertezas até abrir o coração para compreender verdadeiramente as Leis de Deus.

 
Um caminho que ainda traço diariamente com estudo, questionamentos, trocas de experiências, quedas e perseverança.

 
O estudo me permite reconhecer que o sofrimento é um instrumento de aprendizado escolhido pelo próprio sofredor. Ciente, portanto, de suas falhas e fraquezas utiliza da escolha do sofrer para corrigir as faltas que cometeu e impedir-se de cometê-las novamente.

 
Reforça, também, a presença de um Deus pai misericordioso que dedica muito amor a seus filhos e, confiante em seus progressos, os presenteia com a reencarnação: possibilidade de recomeçar e se fazer diferente.

 
Os espíritos que se comunicam compartilham suas vivências nos proporcionando um complemento do estudo teórico que fortalece nosso conhecimento. Os mais evoluídos nos transmitem mensagens que nos esclarecem os ensinamentos do Cristo e nos fazem refletir sobre nossas vidas, nossos pensamentos e atitudes.

 
Os questionamentos fortalecem minha fé, hoje, raciocinada, permitindo erguer-me frente às quedas que surgem por retornar, muitas vezes, ao papel de vítima e transferir as responsabilidades da minha jornada, culpando a vida, o universo, a Deus...

 
Meu coração me guia a perseverar no caminho da luz. Enfrentar os obstáculos, solicitar apoio, recorrer ao estudo, vigiar e rezar. Porém, às vezes me encho de confiança e percebo-me heroína, abraçando todas as causas, atropelando os que são responsáveis e impedindo-os do crescimento.

 
O conhecimento da lei do amor alivia meu coração diante do sofrimento. Conduz-me ao acolhimento e ao apoio aos que padecem, respeitando os ensinamentos que se fazem necessários e que serão absorvidos pelas situações vivenciadas. Permite–me olhar a experiência das muitas vidas como processo individual de cada ser. Processo que se constrói no decorrer do aperfeiçoamento pessoal e no qual uma intromissão impensada prejudicaria o seu desencadeamento. Faz–me certa que o amor é sempre a melhor conduta perante a vida.

 
Por isso, nem vítima nem salvadora, eu somente quero amar!

 
Andréa


Facebook Twitter More...