VIVÊNCIAS MEDIÚNICAS (22)

11/01/2011 19:39

 

Continuando a vivência mediúnica da semana passada, aprofundamos no tema "Transições Planetárias".

Que o texto possa iluminar as nossas futuras escolhas.

 

VIVÊNCIAS  MEDIÚNICAS (22)

 

 

 

Dando continuidade ao relato da semana passada, quando pudemos auxiliar no transporte de um grupo de espíritos para emigração, devo confessar que esse atendimento teve um impacto muito grande nas minhas crenças pessoais.

Passei alguns dias refletindo sobre a experiência, me questionando se não houve interferência anímica significativa e até mesmo fantasiosa no episódio, o que foi importante para compreender o que muitos médiuns passam ao duvidar das suas próprias vivências.

 A dúvida, quando não sistemática, pode ser uma boa aliada quando abraçada à razão.

O embasamento espírita, que alia filosofia, ciência e religião, atiça à curiosidade e ao estudo para sedimentar a fé raciocinada, e fui pesquisar o tema. 

 Conversei com algumas pessoas, e uma amiga e médium me relatou que teve conhecimento dessa emigração de espíritos numa conversa com um ilustre espírita.

Outro amigo me sugeriu reler “A Caminho da Luz”, de Emmanuel, por F.C. Xavier, o que foi muito proveitoso para ampliar meu entendimento para novos horizontes.

 Nessa nossa era digital, fui buscar na internet informações e constatei a presença de inúmeros sites e blogs contendo relatos sobre as naves e a movimentação de espíritos universais em torno da Terra.

Filtrando os relatos, ainda assim constatei que, em todo o planeta, várias comunicações têm ocorrido, desde a metade do último século e principalmente dos anos 80 para cá, descritas como comunicações mediúnicas, canalizações, comunicações telepáticas, inspirações e etc., e conteúdos semelhantes estão permeando a grande maioria delas.  

A ampliação dos nossos conhecimentos, a “quase” instantaneidade das informações e redução das fronteiras, nos descortinam o planeta.

Tomamos conhecimento de povos e costumes peculiares, e ainda assim, tendo muito a descortinar, já nos sentimos mais humanos, pertencentes à “aldeia global”.

Essa amorosidade crescente com uma consciência mais ampliada, nos oportuniza uma convivência mais próxima com povos irmãos de uma aldeia muito maior, galáctica ou universal. Afinal, todos somos filhos de um DEUS único, do amor, da tolerância, da diversidade.

O auxílio ao irmão, em desespero ou na treva da ignorância, requer a mesma boa vontade e doação, habite ele na minha casa, na do vizinho, nas furnas ou nos abismos frios do mar. 

Todos nós, situados como espíritos, seja encarnados ou não nessa era da “Grande Transição”, temos uma maior parcela de responsabilidade, não apenas com o que acontece no nosso entorno, mas principalmente com o nosso interior.

A mudança de paradigma é grande e como toda modificação, requer limpeza, diluição de velhos conceitos, desapego, equilíbrio nas emoções, e disposição e disciplina,  para não voltarmos aos velhos caminhos ou despencar em antigas armadilhas. 

 Compartilho com vocês, alguns fragmentos de textos que selecionei, sobre essa nossa época efervescente, instigante e renovadora.

 

A “transição planetária” e o “exílio planetário” http://anovaera.wordpress.com/tag/exilio-planetario/ novembro 8, 2008

Para que o planeta ingresse na Nova Era, ocorrerá um período de transição, em que muitas mudanças ocorrerão no planeta, mostrando um trecho do livro: “A Nova Era, orientações espirituais para o terceiro milênio”, obra mediúnica de Roger Bottini Paranhos, orientada pelo Espírito Hermes.

PERGUNTA: – O que devemos entender por “exílio planetário”?

HERMES: – Os planetas assim como os filhos de Deus, estão inseridos em um programa evolutivo traçado pelo Criador. Ao final de um estágio de evolução em determinado mundo do Universo, os espíritos que ali reencarnaram são avaliados com o objetivo de verificar-se se eles atingiram o patamar de progresso traçado para aquele planeta, tal qual o estudante é avaliado por seus mestres a fim de ser aprovado para um novo ano letivo na escola.

Aqueles que não evoluíram, segundo as metas traçadas, deverão ser exilados num mundo inferior, onde possam repetir o estágio de aprendizado que negligenciaram por séculos e séculos, nas diversas encarnações a que todo o filho de Deus é submetido em sua evolução infinita.

 

 

 A GRANDE TRANSIÇÃO” - Joanna de Ângelis (Divaldo P. Franco) do Livro: "Jesus e Vida"- página 15:

Opera-se, na Terra, neste largo período, a grande transição anunciada pelas Escrituras e confirmada pelo Espiritismo.

O planeta sofrido experimenta convulsões especiais, tanto na sua estrutura física e atmosférica, ajustando as suas diversas camadas tectônicas, quanto na sua constituição moral. Isto porque, os espíritos que o habitam, ainda caminhando em faixas de inferioridade, estão sendo substituídos por outros mais elevados que o impulsionarão pelas trilhas do progresso moral, dando lugar a uma era nova de paz e de felicidade.

Os espíritos renitentes na perversidade, nos desmandos, na sensualidade e vileza, estão sendo recambiados lentamente para mundos inferiores onde enfrentarão as conseqüências dos seus atos ignóbeis, assim renovando-se e predispondo-se ao retorno planetário, quando recuperados e decididos ao cumprimento das leis de amor. 

Por outro lado, aqueles que permaneceram nas regiões inferiores estão sendo trazidos à reencarnação de modo a desfrutarem da oportunidade de trabalho e de aprendizado, modificando os hábitos infelizes a que se têm submetido, podendo avançar sob a governança de Deus. Caso se oponham às exigências da evolução, também sofrerão um tipo de expurgo temporário para regiões primárias entre as raças atrasadas, tendo o ensejo de ser úteis e de sofrer os efeitos danosos da sua rebeldia.

http://www.lema.not.br/artigo_canal.php?pagecanais=faq&acao=resposta⊂=8&princi=Canais&recstart=0&q_id=914

 

Que tenhamos uma semana construtiva, e com muita PAZ.

Francesca Freitas

11/01/2011

Facebook Twitter More...